VAI REALIZAR UMA CIRURGIA DE TIREOIDE? ENTENDA OS RISCOS E AS COMPLICAÇÕES!

By Equipe Dr. Alexandre 4 semanas agoNo Comments
Home  /  Blog  /  VAI REALIZAR UMA CIRURGIA DE TIREOIDE? ENTENDA OS RISCOS E AS COMPLICAÇÕES!

A tireoidectomia, nome como é conhecida a cirurgia para retirada (total ou parcial) da glândula tireoide, é o procedimento mais comum da especialidade Cirurgia de Cabeça e Pescoço.

Veja a seguir:

 

CIRURGIA DE TIREOIDE

A glândula tireoide é muito importante porque produz hormônios que regulam o metabolismo, ou seja, influenciam o organismo de modo geral. No entanto, podem surgir alterações da função ou da anatomia da glândula, que nos levam a condições em que seja necessária sua retirada cirúrgica.

A cirurgia de tireoide é feita para tratar problemas na tireoide, como nódulos, cistos, aumento exagerado da tireoide ou câncer, e pode ser total ou parcial.

 

QUANDO É PRECISO FAZER UMA TIREOIDECTOMIA?

Doenças da tireoide, como o hipotireoidismo, o hipertireoidismo e nódulos tireoidianos, são frequentes. O tratamento de algumas dessas doenças pode ser realizado com medicamentos e acompanhamento clínico.

Apesar disso, em casos específicos, podem irromper condições que nos levem a indicar a tireoidectomia. O objetivo dessa cirurgia é fazer a retirada total ou parcial da glândula tireoide.

 

QUAIS SÃO OS RISCOS E CONSEQUÊNCIAS DA TIREOIDECTOMIA?

Toda cirurgia envolve risco de complicações. Apesar da cirurgia de tireoide ter índice muito baixo de complicações, aqui serão relatadas as mais importantes:

  • Alterações da Voz

Um a cada 100 pacientes operados da glândula tireoide apresentam alguma alteração temporária na voz, enquanto 1 em cada 250 pode evoluir com alterações definitivas.

Estas modificações na voz podem ser rouquidão, dificuldade em alcançar notas agudas ou cansaço ao falar que frequentemente retrocede em algumas semanas, mas que podem perdurar por vários meses. A recuperação vocal é melhorada com fonoterapia por meio da orientação de uma fonoaudióloga.

  • Hematoma

É uma complicação temida pelos cirurgiões, pois pode pôr em risco a vida do paciente, mas felizmente pouco frequente.

Pode ocorrer um acúmulo de sangue no local operado, podendo levar a dor e dificuldade de respirar. Esta é uma condição que tem de ser avaliada rapidamente pelo cirurgião, que pode decidir reoperar com urgência

  • Hipocalcemia

Após uma tireoidectomia, pode haver uma diminuição temporária ou definitiva da função das glândulas paratireoides levando a queda dos níveis de cálcio no sangue (hipocalcemia). Felizmente, é muito raro ocorrer uma deficiência definitiva na função chamada hipoparatireoidismo definitivo e quase sempre estão associados com a tireoidectomia total.

O paciente pode apresentar como sintomas formigamentos nas mãos, nos pés, ao redor dos lábios e nas orelhas que podem evoluir para câimbras. O tratamento consiste na reposição de cálcio e vitamina D. Raramente estes sintomas ocorrem em tireoidectomias parciais.

  • Cicatriz

Todo corte sobre a pele produz cicatriz. Contudo, dificilmente as cicatrizes de tireoidectomia produzem cicatrizes com mau resultado estético. Pelo contrário, são normalmente discretas.

A exposição solar deve ser evitada diretamente sobre a cicatriz por um período de até 6 meses após a cirurgia. É necessário o uso de protetores solares (Mínimo FPS 30) e visam um melhor resultado estético da cicatriz.

SAIBA MAIS

Para mais informações sobre doenças, tratamentos, e muito mais, acesse o meu Instagram clicando aqui, e veja as outras notícias do meu site clicando aqui.

Category:
  Blog
this post was shared 0 times
 000

Leave a Reply